SOBRE O ROSIER | PROJETO 7 CUMES | PALESTRAS | NOTÍCIAS | NA MÍDIA | CONTATO 

14/04/2015
Rosier chegou no Campo Base

Rosier apontando para o Everest

Nossa chegada ao Campo Base foi dura subindo gradativamente passamos por Deboche (3.800m), depois avançamos para Dingboche (4.370m) lá passamos pelo Monastério de Pangboche onde o Lama fez uma solenidade privativa para o nosso grupo com direito a uma bênção individual. Apesar de mais de 7h de caminhada eu e Davi, meu filho, estamos reagindo bem, sem dor de cabeça ou qualquer outra reação causada pela altitude. Permanecemos em Dingboche onde batemos o recorde de altitude nesta expedição, chegamos aos 5.000 metros de altitude. Pela primeira vez tomamos banho com balde, bem desconfortável, mas pior é ficar sem banho e o desconforto vai aumentando, mas isso faz parte do desafio, não é nenhuma surpresa.
Depois partimos de Dingboche para Lobuche (4.900m). Após a nossa chegada a Lobuche, parte do nosso time fez uma caminhada de 30 minutos para visitar um observatório com estação meteorológica, alguns preferiram descansar e eu preferi brincar de fotografar os iaques que estavam “estacionados” ao lado do nosso lodge e depois ainda fiquei algum tempo contemplando a paisagem do Lobuche Peak e lembrando que um ano atrás em estava de piqueta e crampons fincados nas suas encostas indo até o seu cume.
Mais uma vez avançamos e agora partimos de Lobuche para Gorak Shep (5.180m), o momento mais esperado, a subida do Kalla Pattar, uma longa e dura subida que seria recompensada por uma das melhores vistas do Everest, porém o tempo fechou e por segundos conseguimos ver o Base Camp, mas o tempo predominou fechado e em nenhum momento vimos nenhum sinal do Everest, mas tudo bem, todos vibram ao chegar ao cume, mais um acima de 5.500m para a coleção. 
No dia 13 de abril nosso último de caminhada para chegar ao Campo Base. Dormimos com uma paisagem e acordamos com outra completamente diferente, entre a madrugada e o nascer do dia caíram quase 50 cm de neve, tudo branquinho, a paisagem é belíssima, mas não é nada animadora para quem está de saída para o Campo Base.
Depois de duas longas horas e sem nenhuma parada de descanso, finalmente chegamos ao Campo Base com o tempo completamente fechado, não tínhamos a dimensão do número de barracas, e nenhum helicóptero circulou durante o dia. 
Hoje, 14 de abril nosso primeiro dia no Campo Base foi mais um dia com tempo fechado, à tarde demos uma caminhada indo até próximo a cascata de gelo. O frio aqui é intenso já chegou a 20 graus negativos.
Amanhã, 15 de abril teremos um puja privativo da nossa expedição e dia 16 o nosso primeiro treinamento e possivelmente 19 ou 20 devemos começar a escalada propriamente dita subindo para os acampamentos avançados.
Namastê
Rosier Alexandre e Davi Saraiva

+55 (85) 98814.0753
+55 (85) 99711.6600
danubia@rosier.com.br